Movimento, e tempo são meus interesse centrais. Trabalho deslizamentos e torções nas esculturas, nas paisagens superposições e volumes, e nas fotografias transformações e deslocamentos.

 

Sou escultora figurativa. Uso vários tipos de materiais, de acordo com o conceito de cada série. Juan Muñoz e Käthe Kollwitz foram grandes influencias para mim.

 

Crio espaços imaginários a partir do conceito de tempo, na relação das ruinas com as paisagens contemporâneas. Estes trabalhos são foto-pinturas em alto relevo em que dou volume à paisagens em técnica com tecido, costura feita à mão e à maquina, e pintura acrílica. 

 

Busco a dubiedade. É pintura ou alto relevo? Subverto o que estamos acostumados a ver como imagem fotográfica. Transformo composições fotográficas em esculturas. Os planos mais próximos tem mais espessura, e vão perdendo os volumes até o plano da profundidade bidimensional. A tinta acrílica, os pretos, as sombras vem da minha paixão por Corot.

 

Compreendo o momento presente como uma era Barroca com excessos, consumo e extravagâncias. Faço releituras das esculturas de Bernini invertendo a relação de cobertura e corpo. O corpo desaparece e as roupas com seus drapeados são substituídas por pele/pergaminho, que recobrem um nada.

 

Minhas fotografias mostram um tempo que o olho não vê. As transformações das camadas da pele, com seus deslocamento, são exacerbadas de maneira estática. Enfatizo o questionamento forçando o espectador a tentar entender como foi o processo de elaboração das imagens.