In Corpore - 2012.
Trabalhos e 21 x 21 x 12 cm a 15 x 15 x 7 cm.
Gesso e massa poli-vinílica sobre chassi em
caixas acrílicas em que próteses estéreis
são acondicionadas.   

No teatro Grego a mascara tinha a função de manter a cisão entre o mito e a voz do povo.

 

Hoje frequentemente há a incorporação da máscara e da voz do outro; a imagem mítica é assimilada “fisicamente”.

 

A incorporação já não é mais simbólica e passa a ser “in corpore”; a prótese torna-se a incorporação de uma forma idealizada.